Álvaro Teixeira Lopes
presidente júri

Natural do Porto, fez a sua formação com Isabel Rocha, Jorge Moyano e Helena Sá Costa em Portugal e com Paul Badura Skoda, Noel Flores em Viena e Marian Ribicky em Paris. 

Diretor Artístico do Concurso Internacional de Sta. Cecília, é Diretor do Curso de Música Silva Monteiro e Professor Associado Convidado no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.

Com numerosos alunos detentores de prémios em concursos nacionais e internacionais, é frequentemente convidado a integrar júris de concursos de piano tanto em Portugal como no estrangeiro, tendo já  integrado os júris de vários concursos internacionais tais como o Concurso Internacional de Piano do Porto, Compositores de Espanha, Iturbi, Concours International de Piano de Lyon e de Épinal, Maestro Arts em Taiwan, César Franck, Cleveland Virtualoso, Isidor Basič, Rina Sala Gallo, Orbetello, Neue Sterne, Scriabin, Rospigliosi, Aquaviva, Valentino Buchi, Pro-Piano,  Festival Internacional de Piano do Rio de Janeiro entre muitos outros.

Autor do Manual de Piano, edição do Ministério da Educação, tem exercido uma intensa atividade pedagógica tanto como formador creditado pelo Ministério da Educação como através de Master-Classes que tem ministrado em Portugal e no estrangeiro. 

Gravou para a editora Numérica e dedicou grande parte da sua atividade pianística à divulgação da Música Portuguesa para piano e música de câmara. Membro dos Solistas do Porto e do Khora Ensemble, possui um duo com o pianista Fausto Neves e com o guitarrista Francisco Berény.

É diretor artístico de vários festivais entre os quais o Festival Internacional de Piano de Sta. Cecília.

Álvaro Teixeira Lopes is Professor in the Department of Communication and Art at Aveiro University, as well as the Artistic Director of Santa Cecilia International Competition (CISC), and Director of Curso de Música Silva Monteiro (CMSM). Álvaro Teixeira Lopes attended the Conservatório de Música do Porto and continued his studies in Vienna and Paris with Paul Badura Skoda, Noel Flores and Marian Ribicky. Awarded with several prizes, he developed intense national and international activities as a soloist and chamber musician and has been invited to play in some of the most prestigious festivals internationally.

Artistic director of several festivals, he has directed numerous Master-Classes in Portugal, France, Brazil, Taiwan, China, Spain and Italy. Frequently invited to join panels of piano competitions, he has been jury member of the Orbetello International Competition, Rospigliosi, Rina Sala Gallo, Iturbi, Compositores de España, Isidor Basič, Pro-Piano, Concours International de Piano de Lyon, Concours International d’Epinal, César Frank International Competition, Cleveland Virtualoso, Maestro Arts Taiwan, Porto Piano International Competition, Festival Internacional de Piano do Rio de Janeiro, and many others all over the world.


 


Paulo Oliveira

É um dos mais destacados pianistas portugueses da sua geração. Natural de Vila do Conde, iniciou os seus estudos musicais aos nove anos com Joaquim Bento. Seguidamente ingressou na Academia de Música de S. Pio X como bolseiro da Fundação Dr. Elias de Aguiar. Nesta instituição estudou com Margarida Almeida e Felipe Silvestre, tendo finalizado o Curso Complementar de Piano em 1998 com a classificação máxima. Posteriormente estudou com Tania Achot, concluindo o Curso Superior de Piano na Escola Superior de Música de Lisboa, uma vez mais com as mais altas classificações. Continuou a sua formação com Sequeira Costa na Universidade do Kansas, com quem estudou durante quase uma década, herdando assim os mais fiéis conhecimentos da era dourada do piano, que o seu mestre tinha recebido directamente de Vianna da Motta, Mark Hamburg, Edwin Fischer, Marguerite Long e Jacques Février. Nesta universidade concluiu estudos de mestrado em 2005, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Posteriormente, em 2009 concluiu com distinção o seu doutoramento com uma bolsa de estudos da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.Outros professores relevantes na sua formação foram Helena Sá e Costa, Luiz de Moura Castro, Andrei Diev, Vladimir Viardo, Vitaly Margulis, Aldo Ciccolini, Paul Badura-Skoda e Dmitri Bashkirov.

Foi distinguido com diversos prémios em concursos nacionais e internacionais, destacando-se o prémio que obteve no “Concurso Internacional de Piano Vianna da Motta,” o 1º prémio no “Concurso Internacional Bartók-Kabalevsky-Prokofiev,” o 2º prémio no “Concurso de Interpretação do Estoril | Prémio El Corte Inglés” e o 1º prémio no “Festival Jovens Pianistas 2010 - Prémio Chopin” - organizado pela Orquestra Metropolitana de Lisboa. Foi ainda vencedor da “Kansas University Symphony Orchestra Concerto Competition”. O duo que mantém com a violoncelista Teresa Valente Pereira foi premiado num recital realizado no “Palau de la Música Catalana” em Barcelona.

Paulo Oliveira tem-se apresentado a solo, com orquestra e em música de câmara em Portugal, Espanha, Andorra, Itália, França, Reino Unido, Polónia, Brasil, Estados Unidos da América, e gravou para a RDP – Antena 2, Radio France e Catalunya Ràdio.

Tocou a solo com a Orquestra Sinfónica da Universidade do Kansas, Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra do Algarve, Orquestra do Norte, Orquestra Metropolitana de Lisboa e Orquestra Sinfónica Portuguesa, sob a direcção dos maestros Nicholas Uljanov, Steven McDonald, Pedro Neves, Ferreira Lobo, Cesário Costa, Daniel Klajner e Jean-Marc Burfin.

Paulo Oliveira concilia a sua actividade concertística com o ensino. Foi professor de piano no Conservatório Nacional e no Instituto Piaget. Actualmente integra o corpo docente da Academia de Música de Santa Cecília e da Academia Nacional Superior de Orquestra | Metropolitana. Tem sido regularmente convidado a orientar master classes no país e no estrangeiro, e integrou por diversas vezes júris de concursos internacionais de piano. É membro fundador da actual delegação portuguesa da “EPTA - European Piano Teachers Association.”

O seu recente disco, Iberian Impressions, foi distinguido com um Global Music Award nos EUA, na categoria Classical Piano.


 


Jill Lawson

Jill Lawson, pianista de nacionalidade luso-americana, nasceu no México em 1974 e cresceu na Bélgica, residindo atualmente em Portugal.

Ela aprendeu a ler música antes de conhecer o alfabeto. É fluente em 5 línguas, mas continua a preferir comunicar através da música que lhe fornece um vocabulário mais rico e abrangente, mais perto das suas emoções. Nos últimos anos, as suas experiências de vida permitiram-lhe ampliar as suas competências interpretativas e, atualmente, a sua forma de tocar tornou-se mais natural, conseguindo, em palco, uma ligação especial com o público.

Entre os numerosos prémios e distinções que obteve em competições nacionais e internacionais, destacam-se o 2º prémio no prestigiado Concurso Internacional de Piano Vianna da Motta (Macau, 1997), 4º prémio no Concurso Internacional Schubert (Dortmund, 2001), finalista do Concurso Internacional de Piano de Andorra (2001), 1º prémio Concurso Cidade da Covilhã (2001), 2º prémio Concurso de Interpretação do Estoril (2001), finalista da Classical Fellowship Awards da American Pianists Association (2003).

Começou a estudar piano aos 8 anos em Antuérpia, com Heidi Hendrickx e Levente Kende, mais tarde em Fiesole, Itália, com Maria Tipo e em Amesterdão onde estudou com Jan Wijn, tendo obtido as mais elevadas classificações e distinções em prestigiadas escolas como o Conservatório Real de Antuérpia, a Chapelle Musicale Reine Elisabeth (Bruxelas) e o Conservatório de Amesterdão. Obteve o Diploma de Pós-Graduação em Piano (2000) e concluiu o Mestrado em Música de Câmara no Peabody Institute em Baltimore (EUA, 2004) enquanto discípula de Leon Fleisher e Ellen Mack. Fez vários cursos de aperfeiçoamento com Dimitri Bashkirov, Vladimir Viardo, Vitaly Margulis, Sequeira Costa, Gyorgy Sebok, Helena Sá e Costa, entre outros. Foi selecionada para participar no workshop orientado por Maria João Pires em Belgais, participando no premiado documentário de Roel van Dalen Een hartstochtelijk Les (2001).

Como solista, deu inúmeros recitais e tocou com orquestras de renome na Europa, Estados Unidos e Ásia. Manteve uma intensa atividade no domínio da música de câmara, tendo colaborado com Ilya Grubert, Artur Pizarro, Eleonora Karpukhova, Pavel Gomziakov, David Cohen, Carlos Damas, o bandoneonista Martin Sued entre outros, e com a soprano Elisabete Matos. Forma o duo Lawson& Lawson com seu irmão Eliot Lawson, violinista e integra desde 2021 o MPQ Quarteto de Cascais.

Jill é docente na Escola Superior de Artes Aplicadas, em Castelo Branco (desde 2008), e coordenadora da classe de Piano na Escola de Música do Colégio Moderno, em Lisboa (desde 2014). Tem integrado júris de concursos, orientado masterclasses e os seus alunos têm conquistados importantes prémios nos mais relevantes concursos nacionais e internacionais. Colaborou nas coreografias Impromptus de Sasha Waltz/CNB(Lisboa, 2018) e A Mesa Verde de Kurt Jooss com CNB (Lisboa, 2021).

Gravou para a editora Brilliant Classics a Obra completa de música de câmara de António Fragoso (2011) e de Frederico de Freitas (2015) e as Sonatas para violino e piano de Paul Hindemith (2012). Gravou os Estudos Sinfónicos Op. 13 de Robert Schumann para a Fundação Internacional Vianna da Motta.Mais recentemente, gravou a Integral de Música de Câmara Vol. 2 de Joly Braga Santos (Toccata Classics, 2020).


 


António Mota

Doutorado em Música pela Universidade de Aveiro e licenciado em Órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa (sob orientação do prof. Antoine Sibertin-Blac, com nota final de curso máxima). Tem também licenciatura e mestrado em Eng.ª Eletrotécnica pelo Instituto Superior Técnico.

É Professor Auxiliar Convidado da Universidade de Aveiro, onde leciona Órgão e outras disciplinas específicas deste curso, na licenciatura e mestrado.

É o atual presidente da direção da AMPO (Associação Musical Pro-Órgano). Tem orientado cursos de Órgão (mormente das Semanas Gregorianas em Viseu) e sido membro de júri de concursos de nacionais e internacionais de órgão e piano (Vila Verde; Aveiro; Coimbra).

Entre 2009 e 2014 foi coordenador e docente do curso de licenciatura em Música do Instituto Piaget (Viseu, Almada), onde lecionou em áreas teóricas e orientou teses de mestrado.

Exerce regularmente funções litúrgicas (e.g. Missa Crismal na Sé de Aveiro, 6-IV-2023), e atividade concertística (de destacar, em 2023: no Festival Internacional de Órgão de Braga e no Festival Internacional de Santo Tirso; no ciclo de concertos anual do Órgão Sinfónico de Catedral de Vila Real). Conta com 8 obras compostas para Órgão, assim como vários arranjos p/Órgão (ibérico e moderno, a 2 e a 4 mãos).

Antonio Mota

PhD in Music Theory ( Aveiro University 2007) and graduated in Organ (Escola Superior de Música de Lisbon, 2000, under the guidance of Prof. Antoine Sibertin-Blac, with maximum final course grade). He has also a master's degree in Electrical Engineering (Instituto Superior Técnico, 1999).

He teaches Organ at the University of Aveiro, plus other specific classes. He is the current chairman of the board of AMPO (Association Musical Pro-Organo). He guided organ Master Classes at the Gregorian Weeks in Viseu (between 2013 and 2023). He has been a regular jury member of organ and piano competitions (Vila Verde; Aveiro; Coimbra). In between 2009 and 2014 he was coordinator and professor at the Piaget Institute (Viseu, Almada), where he taught in theoretical musical areas and supervised master's theses.

He regularly performs as liturgical and concert organist (e.g., in 2023: Missa Crismal, Sé de Aveiro; Vila Real's cathedral, in the regular anual concert series; Festival International de Órgão de Braga, and Santo Tirso).

In terms of his own composition, António Mota currently has 8 works composed for organ, as well

as many arrangements (for Iberian and modern organs, for 2 and 4 hands/feet).


 


Manuel Carvalheiro Dias

Manuel Carvalheiro Dias, sacerdote diocesano de Coimbra, licenciado em Teologia pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica e em Estudos Portugueses pela Faculdade de Letras da mesma Universidade.

Atualmente exerce funções de Vigário Episcopal, pároco na Cidade de Coimbra, presidente do Conselho de Administração do Colégio de São Teotónio, docente e diretor da Escola de Teologia e Ministérios e da Escola Diocesana de Música Sacra.

 

  

 

 

 

 

 

 

   


selo 2023 2024