Notícias

A Editorial Caminho tem o prazer de informar que aos trabalhos dos alunos Maria Carolina Dias França foi atribuído o 2.º Prémio ex-aequo no ciclo de escolaridade a que pertence, na modalidade de Desenho no Concurso Uma Aventura... Literária 2018. Muitos parabéns!

Este ano, a Caminho recebeu 14.643 trabalhos participantes no Concurso Uma Aventura…. Literária 2018. Os números falam por si e demonstram o enorme interesse que este Concurso continua a suscitar junto de professores e alunos de todo o país.

Felicitamos o(s) aluno(s) e a escola pela qualidade do trabalho, que encantou o júri, e agradecemos a todos os professores que, com dedicação e empenho, fazem deste concurso o maior do género em Portugal.

Conforme o regulamento prevê, o prémio consiste na publicação do trabalho num dos livros da coleção Uma Aventura, cujo título e edição serão divulgados oportunamente. O autor receberá ainda como brinde um cheque-livro

Temos ainda o prazer de o(a) convidar a estar presente na cerimónia pública de entrega dos prémios, que decorrerá no dia 11 de junho, às 14.30 horas, no Pavilhão Carlos Lopes, que fica perto dos pavilhões da Editorial Caminho, no Espaço Leya, da Feira do Livro de Lisboa (Parque Eduardo VII).

As escritoras Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada participam na festa destinada aos premiados, aos professores e aos colegas e familiares que os quiserem acompanhar. Os premiados podem trocar o cheque-livro pelas obras que escolherem nos pavilhões da Editorial Caminho e levar como recordação um livro autografado das autoras.

A ciência na escola ao serviço do desenvolvimento e da humanização

Turma 7º B - 4º Escalão

PROJETO: Lanterna Verde - a bactéria biossensor para detetar contaminação ambiental

 

Este projeto foi desenvolvido pelos alunos da turma 7ºB em parceria com a Universidade de Coimbra, Laboratório de Microbiologia contando com os Investigadores: Professora Doutora Paula Vasconcelos Morais, Drª Mariana Cruz Almeida e Dr Diogo Neves Proença, da FCTUC, Departamento Ciências da Vida; do CST, profª Alice Rocha como coordenadora.

A formação em Ciências Naturais visa despertar nos alunos a curiosidade acerca do mundo natural e o interesse pela ciência, desenvolver uma compreensão abrangente da Terra e da Vida, dos procedimentos da investigação científica e ainda questionar o comportamento humano perante o mundo e o impacto da ciência e da tecnologia no ambiente. Neste contexto, foi com muito agrado e verdadeiro entusiasmo que aceitamos o desafio de corresponder à temática proposta pela 15ª edição Prémio Fundação Ilídio Pinho e pusemos mãos à obra concorrendo com este projeto.

A contaminação do meio ambiente com metais aumentou drasticamente durante o último século devido a intensas atividades antropogénicas e ao aumento da necessidade destes. Os solos são o principal concentrador dos metais libertados para o meio ambiente e, ao contrário dos contaminantes orgânicos, estes não sofrem degradação microbiana ou química. As estratégias de remediação ambiental que se centram na redução da biodisponibilidade dos metais no ambiente são somente aceites se demonstradas serem estáveis a longo prazo.

Neste trabalho construímos um modelo de contaminação ambiental por crómio e avaliamos o processo de biorremediação natural utilizando um biossensor desenvolvido na Universidade de Coimbra, o "Lanterna Verde". 

O uso de biossensores bacterianos permite determinações sensíveis do contaminante biodisponível, sem equipamentos caros, treino especializado ou o uso de reagentes químicos. Assim, existe uma necessidade de mercado para biossensores como um método mais seguro e ambientalmente correto para a quantificação de cromato. Refira-se que o biossensor teve um prémio INOV-C e espera-se que possa ser utilizado por empresas no futuro, para monitorização ambiental.

Aos alunos do 7ºB dedicados e responsáveis em todas as tarefas delineadas, o desenvolvimento deste projeto  permitiu alargar os horizontes da aprendizagem, possibilitou não só o acesso aos produtos da Ciência mas também aos seus processos, compreender os seus limites e potencialidades e entender as suas aplicações tecnológicas na sociedade: tornou acessível o estudo experimental da Ciência, a aquisição de destrezas experimentais, tendo em vista a valorização do método científico e o estudo da Ciência e das Tecnologias. Simultaneamente, possibilitou a compreensão prática de que estas dimensões se podem encontrar, criativamente, para gerar respostas eficazes e necessárias, ao alcance de todos o que se empenham, a problemas de sustentabilidade global. Com o percurso realizado todos os alunos da turma contactaram com o “fazer ciência”, compreendendo, a partir de um problema concreto, a relação entre a Ciência, a Sociedade e as Tecnologias ao serviço de uma maior qualidade de vida, isto é, ao serviço do desenvolvimento e da humanização. Valeu a pena!

A ciência na escola ao serviço do desenvolvimento e da humanização

Turmas 10.1 A | B

PROJETOR2R - Residuos para Recursos: microbiotecnologia no futuro na reciclagem

 

Conscientes de que o que hoje são resíduos podem ser fontes de matérias-primas, através da coordenação de novas estratégias (como a biolixiviação e a bio-remoção), e de que o fósforo é um elemento necessário à agricultura cujas fontes de fornecimento tradicionais estão quase esgotadas, os alunos do 10 ano participaram na 15ª Edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho- Ciência na Escola com o projeto "Residuos2Recursos: Biomicrotecnologia no futuro na reciclagem" .

Neste projeto os alunos conseguiram criar um processo, suportado em bioestratégias, para a remoção de fósforo, a partir de lamas residuais, e a produção de um produto rico em fósforo utilizável na agricultura. Dado estarmos a viver uma crise de recursos, é essencial a criação de modelos económicos onde se gera riqueza sem prejudicar o ambiente.

Todo o trabalho desenvolveu-se em estreita colaboração com a Professora Dª Paula Vasconcelos Morais, da FCTUC, e o Engenheiro João Damasceno, diretor da empresa Águas da Figueira.

Alunos do Colégio de São Teotónio doam “Um Cabaz de Natal por Turma” a famílias carenciadas!

O Colégio de São Teotónio associou-se à campanha “Natal Solidário 2017” da Cáritas Diocesana de Coimbra, lançando o desafio aos seus alunos e professores para prepararem cabazes de Natal com produtos de primeira necessidade e brinquedos (para as crianças), com a finalidade de serem doados a famílias carenciadas da região de Coimbra. 

Assim, no dia 13 de dezembro de 2017, pelas 10h15, teve lugar, no átrio de CST, uma pequena, mas sentida cerimónia, onde estiveram presentes a Drª Ana Paula Cordeiro (Coordenadora do Centro de Apoio Social da Cáritas Diocesana de Coimbra), o Sr. Diretor do Colégio de São Teotónio, Dr. Antero Abreu, os Diretores de Turma e outros professores, bem como os Delegados e Subdelegados de todas as turmas do Colégio, para se promover à entrega de 1 cabaz de Natal por turma, a que se associaram também os docentes do Colégio com o seu próprio cabaz.

O Sr. Diretor do Colégio de São Teotónio, Dr. Antero Abreu, realçou a generosidade que, uma vez mais, os alunos e professores demonstraram ao abraçar esta campanha solidária, que não resolve todos os problemas destas famílias carenciadas, mas que ajudará a que tenham um Natal melhor, evidenciando o sentido de responsabilidade social, de estar atento ao próximo e às suas necessidades, tão característico da Comunidade Educativa deste colégio, de natureza Católica.  

A Drª Ana Paula Cordeiro agradeceu, igualmente, a solidariedade de todos os alunos e professores, referindo terem sido superadas as expetativas, o que ajudará a Cáritas Diocesana de Coimbra a poder ajudar mais de 200 famílias carenciadas, neste Natal, prometendo fazer chegar estes cabazes a quem mais deles necessita, referindo ainda que são gestos destes que refletem o verdadeiro espírito de Natal.

O Colégio de São Teotónio é finalista do «Concurso Literacia 3D» que decorre hoje, vinte e seis de maio, no Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva, em Lisboa.

Este concurso é organizado pela Porto Editora em três Categorias: Literacia de leitura (5ºAno), Literacia Matemática (6ºAno) e Literacia Científica (7ºAno). As provas são realizadas em computador e têm a duração de 45 minutos.

Nesta edição do «Desafio pelo conhecimento», inscreveram-se cerca de 90 mil alunos e estiveram envolvidas 750 escolas de todo o país. A primeira fase decorreu entre 21 e 25 de novembro em cada escola. O melhor aluno de cada categoria esteve presente na fase distrital no dia 8 de março. Hoje, realiza-se a Grande Final onde estarão presentes 60 alunos.

O Colégio de São Teotónio estará presente na grande final no «Concurso Literacia 3D» em duas categorias. Os alunos apurados para a final são:

–   Leonardo Almeida (6ºB) em Literacia Matemática;

–   Joaquim Rodrigues (7ºM) em Literacia Científica.

Dados para melhorar a qualidade de vida e complementar os dados da Agência Portuguesa do Ambiente

34 alunos – 2 turmas de 4º ano A e B - 2º Escalão

Coordenador do Projeto - Profª Ana Maria Ramos – parceria Drª Paula Morais da FCT da UC; profª Susana Dias

A Agência Portuguesa do Ambiente disponibiliza uma base de dados online que permite conhecer a qualidade do ar com base em parâmetros químicos, não existindo dados microbiológicos. A microflora do ar interior pode ser prejudicial para a saúde humana induzindo alergias. Urge que a qualidade do ar nas escolas seja uma questão de crescente preocupação na sociedade atual. O objetivo deste projeto passa por avaliar a qualidade microbiológica do ar interior e envolvente da escola, pretendendo-se contribuir para as decisões que visem o melhoramento da qualidade do ar. Poderá, ainda, servir como elemento propulsor do estudo desta variável em contextos escolares.

22 alunos – turma 5º A - 3º Escalão

Coordenador do Projeto - Profª Maria Alice Rocha – parceria Drª Marta Piñeiro Gómez e Drª Carla Sofia Loureiro Gomes, da  UC - FCT, Departamento de Química e Centro de Química de Coimbra

O projeto consiste na utilização de compostos extraídos de plantas, oxigénio e luz solar na purificação de água. Pretende-se demonstrar a importância da conservação da biodiversidade como fonte renovável de diversos produtos naturais que através da utilização de novas técnicas e tecnologias podem, por sua vez, ser resposta para problemas atuais de sustentabilidade global tais como a preservação do mais precioso recurso natural, a água.

28 alunos – turma 8ºA - 4º Escalão

Coordenador do Projeto - Profª Susana Dias – parceria Drª Paula Morais e  Dr. Romeu Francisco, da FCTUC

As plantas têm sido utilizadas em estratégias de fitorremediação de solos contaminados com metais, utilizando-se plantas hiperacumuladoras para a fitoextração, ou utilizando plantas tolerantes a metais para a fitostabilização. O objetivo deste projeto é “construir” plantas fitoestabilizadores utilizáveis em biorremediação. 1)Mostrar a presença de bactérias nos tecidos das plantas. 2) Modificar a comunidade endofitica da planta com uma bactéria resistente a arsénio. 3)Mostrar que plantas com a bactéria resistente são mais resistentes a metal e utilizáveis em fitoremediação/fitoestabilização.

No âmbito da Educação para a Cidadania e atendendo ao referencial de Educação Financeira da Direção Geral da Educação, o Colégio de São Teotónio efetuou candidatura à 5ª edição do Concurso Nacional “Todos Contam”, promovido pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, em parceira com o Ministério da Educação.

Para grande satisfação e legítimo orgulho, o projeto apresentado pelo CST mereceu a atribuição do Prémio Nacional, no âmbito do 3º Ciclo do Ensino Básico. Assim, no próximo dia 5 de maio, decorrerá no Cineteatro do Colégio de São Teotónio, a cerimónia de entrega do prémio nacional da 5. ª Edição do Concurso “Todos Contam”, segundo o programa abaixo indicado.

O dia 29 de abril foi um dia de OURO para a comunidade do Colégio de São Teotónio.

A professora Telma acompanhou os alunos Afonso Silva, Bernardo Silva e Carlos Santos, da turma do 9ºA, ao Departamento de Física da Universidade de Coimbra onde participaram nas Olimpíadas de Física. Após a realização das provas, que incluíam a componente prática e teórica, com alguns nervos à mistura, eis que o Ouro começou a brilhar forte! O resultado foi que GANHARAM a medalha de OURO!!!  Assim, encontram-se inscritos para a fase nacional que se realizará nos dias 2 e 3 de junho de 2017, no Instituto Superior Técnico de Lisboa. Esta fase nacional das Olimpíadas apura para as Olimpíadas Internacionais 2018 (julho 2018, Lisboa) e Olimpíadas Ibero-americanas 2018 (setembro 2018, Brasil). Estas conquistas representam, também, o esforço de professores, mas, sem dúvida nenhuma que são os nossos alunos que conseguem voar alto!!!

Muitos Parabéns!!! Que orgulho!!!

No dia três de abril, a aula de Geologia do 10º e 11º foi na Serra da Freita! Que lugar fantástico e que bom tempo esteve! Encontramos lá vários tesouros, pistas, que nos permitem compreender o passado geológico desta região. Fomos conhecer a Frecha da Mizarela, uma queda de água com cerca de 70 metros de altura, onde o rio Caima deixa de circular nos granitos, para passar a circular nos xistos, mais facilmente erodidos. Fomos conhecer o campo de dobras da Castanheira, onde as rochas, estando num regime dúctil, quando sujeitas a forças compressivas, dobraram. É uma delícia olhar para essas dobras e imaginar as forças que as produziram. Depois, fomos conhecer o afloramento de um tipo de granito único no mundo, o granito nodular da Castanheira. Sim, Portugal tem tesouros fantásticos!

Certamente o termo “Pedras parideiras” não é novo! Não sendo um ser vivo, é lógico que o granito não “pariu”, mas os seus nódulos de biotite, com as diferenças de temperatura que se fazem sentir na Serra, assim como através de fenómenos de crioclastia, acabam por se destacar da rocha. Depois, na parte da tarde, fomos para o outro lado da Serra. Passámos em Canelas, onde foram encontrados fósseis de trilobites, o que significa que nesse local, no passado geológico, já existiu um oceano, onde se reuniram as condições ideais para a formação de rochas sedimentares, como arenitos, argilitos… Com o fecho deste oceano, estas rochas sedimentares transformaram-se em metamórficas, originando os quartzitos, os xistos…

Para finalizar, fomos observar a Falha da Espiunca, bem pertinho da entrada nos Passadiços do Paiva, que, por falta de tempo, não pudemos explorar como inicialmente previsto. Mas foi aberto o apetite para voltar, desta vez com a família! Sim, porque com o bom tempo, ficar em casa não será opção!!! Há tanto para conhecer e compreender neste nosso belo país! Bons trilhos!

Numa iniciativa da Organização Mundial do Rim, na pessoa da Dra Ana Galvão, a quem agradecemos a disponibilidade e atenção, no dia 6 de março, os alunos do 9º ano assistiram a uma palestra intitulada “Doença renal e obesidade – Estilo de vida saudável para rins saudáveis”. Os nossos alunos foram alertados para a importância dos rins, para alguns procedimentos utilizados em caso de doença renal e, claro, hábitos que devem ser adquiridos para manter a saúde dos rins. Existem 600 milhões de pessoas obesas em todo o mundo e a obesidade pode ser uma causa de doença renal já em crianças e adolescentes. Hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis como a atividade física regular podem ajudar a controlar a obesidade e a prevenir a doença renal. Por isso, na lista de tarefas a fazer, colocar: praticar exercício físico, beber entre 1l a 1,5l de água por dia, reduzir o consumo de sal, medir a pressão arterial regularmente, entre outras… Para saber mais, consultar a Sociedade Portuguesa de Nefrologia.

 Há já nove anos que o Colégio de São Teotónio integra com reconhecido mérito o Programa Eco-Escolas, hoje presente em 64 países e envolvendo mais de 49.000 escolas em todo o mundo. Distinguido anualmente com o Galardão atribuído às Eco-Escolas cuja qualidade do trabalho desenvolvido no âmbito da educação ambiental e da sustentabilidade, é reconhecida, foi submetido a auditoria externa já por duas vezes, tendo alcançado, também aí, nível de excelência.

No Dia Nacional Bandeiras Verdes, em Aveiro, a 30 de setembro, o Colégio, presente com uma representação constituída por 8 elementos, integrou o programa do dia na Eco-Mostra, dinamizando uma Oficina (ReAge). Este grupo pode ainda usufruir de atividades diversificadas de carácter lúdico e pedagógico, tendo de seguida recebido a nova Bandeira Verde.

O compromisso de cidadania ativa concreta e universal, a perspetiva do cuidar da “Casa comum”, a promoção da sustentabilidade, o espírito empreendedor, são dimensões que integram o projeto educativo da nossa Escola pelo que este Programa tem tido expressão em variadas iniciativas e projetos abrangendo todos os setores da Instituição.

Foi pois com elevado sentido de responsabilidade e renovado entusiasmo para o ano letivo 2016-2017 que a toda a comunidade educativa do Colégio São Teotónio, no dia 7 de outubro, se reuniu em clima festivo, para hastear a nova Bandeira Verde! Pelas 10h20, após uma breves palavras de enquadramento pela profª coordenadora do Programa, no principal recinto de acesso ao Colégio, ao som da interpretação de "Pomp & Circunstance" de Edward Elgar pela Orquestra da Escola de Música São Teotónio, constituída por cerca de 40 jovens, sob a direção do professor Alexandre Madeira, foi hasteada a Bandeira Verde 2016. Congregando toda a comunidade educativa, são os mais jovens, desde o Jardim de Infância ao Ensino Secundário, os principais protagonistas desta ocasião única em cada ano escolar e assim, os delegados de turma do 1º ano e do 12º ano, em união de forças, hastearam a nova BV.

Para o presente ano letivo, o CST  tem já definidas algumas áreas de intervenção a incluir no Plano de Ação: aos temas base água, resíduos, energia, associam-se temas complementares como agricultura biológica, biodiversidade e alterações climáticas, destacando-se os temas do ano selecionados Alimentação Saudável e Sustentável, Espaços Exteriores e Geodiversidade. Entre várias iniciativas globais ou de ano/turma que concretizarão estes temas, são de mencionar: a participação em concursos e projetos promovidos a nível nacional pela ABAE, a realização de iniciativas em parceria/colaboração com alguns departamentos da FCTUC, com Centros de Saúde e com a Escola Superior Agrária, e a participação em projetos de reconhecida qualidade no âmbito da literacia científica e educação ambiental como o Ciência na Escola e a rede de Clubes Ciência Viva. Uma horta biológica e a dinamização da “Floresta Encantada”, espaços do nosso CST, serão apostas a reforçar. Destaque-se o projeto de identificação das espécies vegetais do recinto da Escola sob orientação científica do professor doutor Jorge Paiva. As eco-brigadas, constituídas por alunos do ensino básico, atuam diariamente de forma organizada, nos tempos de recreio, responsabilizando-se por manter mais limpos os espaços comuns e zelar pelo bom uso de bens como a água, a luz e o papel. Também a Associação de Pais manterá a disponibilidade para a dinamização de sessões de formação no âmbito das Energias alternativas, Saúde e Hábitos Saudáveis de Consumo. Em corresponsabilidade e abertura às necessidades do Meio, se iniciam e consolidam boas práticas ambientais e se formam cidadãos intervenientes – Juntos, preparamos o futuro, na Escola da nossa escolha, o CST!

Sábado, dia 21 de maio, realizou-se o Torneio de Xadrez do Colégio São Teotónio! destinado a alunos do 1º ciclo, contou com a presença de 90 alunos provenientes de 7 escolas de Coimbra. Estiveram presentes ainda uma centena de pais, mães, avós...

É de assinalar o entusiasmo de todos os participantes!

“Soil Wars: a guerra dos solos”

Prestes a concluir mais um ano letivo, os alunos do 2.º ano deram por concluída a segunda fase do Concurso de Ideias do Projeto “Ciência na Escola”, da Fundação Ilídio Pinho, com o projeto “Soil Wars: a guerra dos solos”.

As parcerias desenvolvidas com a Universidade de Coimbra, nas pessoas do Doutor Diogo Neves Proença e do Doutor Tiago Natal da Luz, proporcionaram a partilha de saberes e de experiências.

Ao longo do projeto, os alunos contactaram com diferentes materiais existentes no laboratório de Ciências Naturais, aspeto que muito os motivou. Misturaram terra com água de folhas de diferentes plantas e verificaram o impacto destas nos ecossistemas dos solos… Descobriram alguns dos seres vivos que neles habitam… Das minhocas, aos colêmbolos, passando pelas bactérias, muitas foram as descobertas e as vivências deste grupo de crianças!

Um dos resultados obtidos no final trouxe-nos alguma surpresa, levando-nos a querer continuar esta investigação para compreender com mais rigor os resultados obtidos em laboratório. Assim, numa fase posterior, iremos visitar a produção experimental de agricultura biológica e a preparação de adubos orgânicos da Escola Superior Agrária de Coimbra, também com o intuito de ponderar a viabilidade de uma aplicação técnica e/ou comercial.

Por um ambiente mais sustentável, todos!

“CSTBiotech – Os (nossos) microrganismos produzem produtos importantes para o desenvolvimento da biotecnologia.”

No âmbito da 13ª Edição – Projeto Ciência na Escola, da Fundação Ilídio Pinho, os alunos do 3º ano A desenvolveram o Projeto CSTBiotech – Os (nossos) microrganismos produzem produtos importantes para o desenvolvimento da biotecnologia.

Este projeto teve como base a biotecnologia que é a procura e descoberta de recursos biológicos industrialmente exploráveis.

O nosso principal objetivo foi a deteção de microrganismos com potencial biotecnológico, capazes de produzir enzimas catabólicas ou substâncias com efeito antibiótico. Foi utilizada uma metodologia clássica para isolamento e deteção de microrganismos produtores de protéases, lípases, celulases e produtos de atividade antibiótica. Esta avaliação conduziu à seleção de um grupo de micróbios produtores de enzimas e capazes de inibir o crescimento de fungos que foram caracterizados.

Em termos de relevância pedagógica, pretendeu-se contribuir para a promoção e desenvolvimento do ensino das Ciências no 3º ano do 1ºCEB; promover a qualidade das aprendizagens, e do pensamento dos alunos sobre os tópicos em estudo; promover capacidades de pensamento (criativo, crítico, metacognitivo,…) relevantes noutras disciplinas do currículo e em diferentes contextos e situações como, por exemplo, de tomada de decisão e de resolução de problemas pessoais, profissionais e sociais.

O desenvolvimento e implementação do projeto só foram possíveis graças à parceria com a investigadora Professora Doutora Paula Vasconcelos Morais, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, conjuntamente com as professoras Susana Cristina Dias, professora de Matemática, 2º ciclo, e de Ciências Naturais, 2º/3º ciclo e secundário, e Ana Maria Ribeiro Ramos, professora titular da turma.